Pretende-se com este blog partilhar experiências relevantes relativas a projectos de eficiência energética em organizações.

As experiências partilhadas são experiências práticas em projectos reais com organizações reais, nem sempre identificadas.

As temáticas/tecnologias podem-se enquadrar nas seguintes categorias principais:

  • Monitorização e gestão de consumos – A razão de existir deste blog. A convicção que a primeira abordagem com resultados em 95% das organizações é a gestão melhorada da energia através da utilização de sistemas automáticos de recolha de dados, alarmística, custeio, definição e acompanhamento de KPI, assim como a actuação automática em consumos relevantes e passíveis de controlo remoto.
  • reEnergy – A convicção que, aquando da fase de projecto, as decisões nem sempre são tomadas em função dos interesses das entidades que explorarão os edifícios durante a sua vida útil, seja por limitações orçamentais iniciais, falta de informação sobre tecnologias mais recentes e eficientes ou pura e simplesmente por comodismo. Habitualmente as soluções são tomadas com pouca análise sobre o seu impacto no longo prazo. É necessário incutir uma mentalidade de análise TCO, associada às principais decisões em termos energéticos nos Edifícios. Na prática o endereçamento destes problemas em instalações existentes implica a análise das instalações existentes e respectivos custos de exploração à luz das melhores práticas de eficiência energética a cada momento. Instalação de Solar Térmico, Biomassa, e outras fontes de energia melhoram habitualmente a situação no longo prazo.
  • Iluminação – A análise e revisão de cenários de iluminação atinge habitualmente retornos relativamente rápidos com a vantagem que os investimentos, na maior parte dos casos, podem ser feitos de forma progressiva. Na generalidade das organizações o importante é definir as estratégias de upgrade que possam ser, ao longo do tempo, ser postas em prática pela manutenção dessas entidades.
  • Ventilação e Bombagem – Tal como na Força Motriz genérica, a ventilação e bombagem na generalidade dos edifícios foi desenhada de forma a proporcionar a qualidade de serviço necessária para o cenário de pico, raramente atingido. Em conjunto com algumas práticas de sobredimensionamento resulta em equipamentos extremamente ineficientes a funcionar completamente fora dos seus pontos óptimos. O redimensionamento, a troca de equipamentos por outros de maior eficiência ou a instalação de variação de velocidade resulta em resultados rápidos e facilmente mensuráveis. O facto da instalação ser existente facilita estas operações uma vez que há histórico real de utilização dos sistemas que pode facilmente ser utilizado como base de trabalho.
  • Força Motriz – Alguma da força motriz utilizada em edifícios e industria poderia ser operada em regimes variáveis sem que isso reduzisse a qualidade de serviço que presta. A instalação de variação de velocidade é uma solução fácil e com resultados rápidos na generalidade das entidades.
  • Produção de Frio e Calor – A evolução das soluções permite-nos melhorias significativas em termos da eficiência das instalações geradoras de energia térmica. A tecnologia de produção de frio evoluiu e a eficiência dos equipamentos aumentou significativamente. Quanto à produção de calor, há cada vez mais opções renováveis que podem complementar o tradicional gás natural ou GPL. As soluções de queima de biomassa e solar térmico são uma alternativa a ter em conta. A própria electrificação desta componente, baseada em bombas de calor e solar fotovoltaico é uma tendência a seguir.

Pretendemos que as experiências aqui trocadas possam ser úteis aos técnicos e decisores encarregues da gestão energética das organizações e que, por diversos motivos, se encontram numa situação delicada em termos de pressecução dos seus objectivos.