facebooktwitterlinkedinfacebooktwitterlinkedin

As IPSS procuram constantemente formas de reduzir custos para assegurarem a sua sustentabilidade financeira. O desconhecimento ou falta de aconselhamento sobre quais as medidas a adotar no que diz respeito aos consumos energéticos são, frequentemente, apontados por estas instituições como um entrave para o aumento da eficiência energética.

Deixamos aqui 9 formas simples e eficazes de poupar energia na sua IPSS, cujo investimento é reduzido ou se paga a si próprio rapidamente.

Caldeiras e Radiadores

  1. A substituição de uma caldeira tradicional por uma caldeira de biomassa, deixando a primeira como equipamento de suporte para alguma falha, pode gerar poupanças até 40%, dependendo do combustível utilizado na atual.
  2. Nos radiadores devem ter instaladas válvulas termostáticas, que permitem controlar a temperatura, sendo esta uma solução prática, simples e cujo investimento é recuperado com rapidez.
  3. Os radiadores que funcionam com água devem ser purgados, pelo menos, uma vez por ano para retirar todo o ar existente, já que o ar que dificulta a transmissão do calor da água para o exterior.
  4. Todos os radiadores devem ter espaço para que a difusão do calor preencha a divisão em que estão inseridos e, em situação alguma, devem ser cobertos – além do perigo que isto representa, o calor não se propaga como pretendido.

Climatização

  1. Definir qual a temperatura de conforto é essencial para poupar energia. Aumentar um grau na temperatura pode significar um aumento de 10% no consumo de energia. No Inverno a temperatura ideal é de 21°C, ao passo que no Verão é de 25°
  2. No Inverno, em situações de ausência prolongada ou mesmo por algumas horas, o termóstato deve estar definido para os 15°C, evitando que espaços desocupados estejam a ser aquecidos e simultaneamente que arrefeçam de tal maneira que seja difícil aquecê-los com rapidez.

Iluminação

  1. A iluminação é uma das principais fontes de consumo de energia. Devemos por isso aproveitar ao máximo a luz natural e pintar as paredes com cores claras.
  2. Substituir as luminárias que têm balastros ferromagnéticos por balastros eletrónicos é outra forma de poupar.
  3. Por último, substituir as lâmpadas incandescentes, de halogéneo e fluorescentes por lâmpadas LED, muito mais eficientes, compensa tanto ao nível do consumo como ao nível da longevidade.

 

Algumas destas medidas não acarretam custos significativos e podem gerar poupanças imediatas. Outras, apesar de representarem um investimento mais avultado, trazem benefícios no médio e no longo prazo. Existem sistemas simples que, em conjunto com especialistas em eficiência energética, conseguem definir quais as medidas a adotar, quais as que são prioritárias e quais aquelas que podem gerar poupanças que permitem investir nas medidas cujos custos são mais avultados. Use e abuse destas 9 dicas de eficiência energética. Os resultados falarão por si.

facebooktwitterlinkedinmailfacebooktwitterlinkedinmail